50 Tons de um livros

Ok, me rendi e entendi ao sucesso da trilogia de E. L. James. Em duas semanas li as mais de 1500 páginas dos 3 livros 50 Tons de Cinza, 50 Tons Mais Escuros (com lançamento em português amanhã) e 50 Tons de Liberdade.
A mulherada pira com Christian Grey!!! A verdade é essa! Podre de rico, lindo de morrer, faz tudo para a felicidade da Ana e ainda é sexpert total. Quem não queria um para chamar de seu?
Além de todas as cenas de sexo, os livros tem uma trama legal, um certo suspense, um romancezinho e drama, drama, drama. E deve ser por essa mistura que está vendendo que nem água. A leitura é muito fácil, aquele povo que só lê revista pode ficar tranquilo que 50 foi feito pensando em você.
Virou um assunto clássico das rodinhas femininas, lá no meu trabalho todas as meninas já leram e é tema recorrente no almoço. Meninos, nem tentem esses livros não são para vocês.
Confesso que eu não achei tudo essa Brastemp. O segundo livro tirou um pouco da minha paciência, com uma ligeira embromation. Talvez, um grande talvez, pudesse ser condensado com o terceiro. Esse sim, com vários acontecimentos e bem mais movimentado.
Estou curiosíssima também para ver a versão cinematógrafia. Todo dia citam nomes diferentes para os papeis principais. Meu preferido para o Mr Grey é éle, lindo, maravilhodo, tudibom, Ryan Gosling!!!! Mas Ian Sommerhalder e Matt Bomer não iriam fazer feio. Christian Bale se fosse mais novo (o personagem tem 28 anos) seria perfeito! ‘

Para Anastasia ainda não achei, talvez Alexis Bledel, Lucy Hale ou Lily Collins. Ou então aquela semi desconhecida esperando o papel da sua vida. Tipo Kristen Stewart, Jennifer Lawrence e Emma Watson…

Ainda não sabemos nada certo do filme, o lançamento deve ser só para 2014 (imagina na Copa feelings) mas queridona, se você ainda não leu o livro tá esperando o que?

Advertisements

Um filme para vida

No fim de semana passado eu me rendi aos apelos da minha mãe e fui no cinema ver Intocáveis. Para os desavisados o filme é o maior fenômeno de bilheteria francês e recentemente ultrapassou o fofíssimo Amelie Poulin como filme francês com maior bilheteria no mundo.
A história, baseada em fatos reais do livro O Segundo Suspiro, conta a história de Phillipe e Driss.
Philippe é um milionário francês vive isolado em sua casa em Paris por ser tetraplégico. Driss é senegalês que foi para Paris adotado por uma família cheia de filhos. Negro, ex presidiário e desempregado (e sem vontade de trabalhar), ele vê a sua vida mudar ao trabalhar como cuidador de Philippe.
A relação dos dois é o triunfo do filme e me faltam palavras para descrever a interpretação da dupla Omar Sy e François Cluzet. Omar inclusive ganhar o Cesar (o Oscar francês) de melhor ator pelo filme.
E mesmo com um tema tão sério o filme faz você rir de verdade, com as trapalhadas de um cuidador de primeira viagem. E ao mesmo tempo proporciona reflexões verdadeiras de como nós tratamos os deficientes ao nosso redor. Driss esquece o tempo todo da deficiência do patrão, e é por isso que eles se dão tão bem. Driss apresenta seu mundo para Philippe, que vai desde a maconha ao Earth, Wind & Fire e Philippe apresenta o seu mundo para Driss, com ópera, música clássica e carros velozes.
Philippe estava cansado de ser tratado com pena e cheio de dedos por seus antigos cuidadores e vê na maluquice de Driss algo diferente, Driss, ao contrário de todos os outros cuidadores, não tinha pena do patrão.
Em uma das melhores cenas do filme (peço mil desculpas já se estou falando muito do filme) Philippe conta que sua maior deficiência não é não poder andar, e sim a falta da mulher que ele amou. Driss entendeu perfeitamente o recado e não via os limites físicos dele. Deu para sacar a lindeza do filme?
Tocante, mas sem ser piegas Intocáceis é um filme para ver e rever e para levar para vida.

Selah Linda Sue

Sabe quando você descobre aquela música que você fica ouvindo 200 bizilhões de vezes? Então, estou assim com Raggamuffin, da Selah Sue. E fui descobri que a moça tem muitas canções legais. Ela tem um estilo parecido com a Nelly Furtado no início Im Like a Bird. Selah tem 23 anos, é belga e está no seu primeiro album. Ela não é exatamente uma novidade, já que descobri vendo o seu clipe no TVZ, mas ainda não é suuuuuper conhecida.

Além do Raggamuffin outras músicas que são mais conhecidas são Crazy Vibes, This World e Mommy. Mas foi com o clássico Ain’t no sunshine que eu me rendi a moça.

Para ouvir várias vezes, até cansar.