Mãe de novela

Hoje o dia é delas. Na verdade, é sempre o dia delas. Nossas mamães queridas, que nos aguentam, que nos educam, que nos amam e que veem televisão com a gente.
Já fiz um post com as mães dos seriados, hoje é a vez das mães das novelas, elas que são sofredoras ou opressoras ou até mesmo manipuladoras (valeu Carmem Lúcia!). Vamos relembrar grandes mamis da teledramaturgia brasileira.

As Helenas
Um capítulo a parte, as Helenas de Manoel Carlos são mãezonas pra inguém botar defeito. Regina Duarte, em Por Amor (1997), engravidou junto com a sua filha, a Maria Eduarda. Só que o filho de Eduarda morre logo em seguida e Reginão, ou melhor Helenão, não pensa duas vezes e faz a troca dos bebês. Reginão também foi uma super mãe em Páginas da Vida (2006), quando adotou uma menina com síndrome de down.
Já a Helena de Vera Fisher em Laços de Família (2000) abre mão do namorado bonitão para filha. E quando Camlia fica doente, com leucemia, Helena move mundos e fundos para achar o pai da menina e engravidar para Camila ter um doador compatível no transplante de medula. Drama, drama, drama só como Maneco sabe fazer.
helena

Maria do Carmo
Susana Viera, num dos melhores papeis de sua vida, não descansou enquanto não encontrou a sua filha sumida em Senhor do Destino (2004). Novelão.
senhora do destino

Dulce
Se a novela Morde e Assopra (2011) não foi lá dessas coisa, o mesmo não podemos dizer do papel de Cassia Kiss. Ela simplesmente roubou a cena como a mãe renegada pelo filho.
morde e assopra

Tereza
Se em Viver a Vida não tivemos uma super Helena, nós tivemos um super Mãe. Tereza, interpretada pela incrível Lilia Cabral, passou a viver em função da filha (Alinne Moraes) depois de um acidente que deixou a menina paraplégica.
TEREZA_LUCIANA

Mãe Lucinda
Mãe Lucinda era quase uma entidade, ninguém era seu filho, mas todos a chamavam de mãe. Sua única filha biológica morreu quando era jovem, e por isso a personagem de Vera Holtz se puniu durante a vida inteira morando no lixão mais conhecido do Brasil.
Mãe-Lucinda-e-seus-filhos-em-Avenida-Brasil

Mamuska
Em Da Cor do Pecado, Mamuska tinha uma penca de filhos lindos: Cauã, Giane, Leonardo Brício, Pedro Neschling e Caio Blat. Era treinadora carrasca, mas fazia todas as vontades dos meninos.
mamuska_e_os_sardinha

Dona Margarida
Essa foi escolha dos meus pais. Até porque a novela Locomotivas é de 1977. Dona Margarida era mãe de Netinho (Dennis Carvalho) e a trilha sonora dos dois, a música Filho Único, era mais incrível ainda.
“Ei, mãe, não sou mais menino
Não é justo que também queira parir meu destino
Você já fez a sua parte me pondo no mundo
Que agora é meu dono, mãe
e nos seus planos não estão você”
denis-ilka-locomotivas

Ana e Clara
Barriga de Alguel (1990) foi polêmica até o final. Na novela de Gloria Perez Ana (Cássia Kiss) é a mãe biológica e Clara (Claudia Abreu) a dona da barriga. O instinto materno era forte nas duas, que disputaram a guarda da criança na justiça.
barrigadealuguel

E para encerrar esse post, vou deixar vocês com Filho Único, música que minha mãe adorva cantar para minha vozinha, só para deixá-la ainda mais louca.

Advertisements

Novidadinhas das séries

Estamos nos aproximando das seasons finales de nossas queridas séries. É aquele momento de tensão, expectativa e alegria. Quando eu acompanhava as séries pela TV adorava quando chegava a “Semana do Clímax” na Warner.
Bom mas voltando ao que interessa temos algumas novidades por aí.

Glee, que anda patinando na audiência, já está com as duas próximas temporadas garantidas. A FOX já oficializou que a série musical tem vida pelo menos até a sexta temporada. É esparavar para ver que rumo a série vai tomar, se vai focar mais no pessoal de NY ou mais no high school. Estou curtindo essa temporada, acho que os criadores encontraram um bom equilíbrio entre os dois “mundos” do programa.

Veep, comédia da HBO com Julia Louis-Freyfus, está com a terceira temporada garantida. A série tem uma audiência razoável e foi bem recebida pela crítica.

A ABC já anunciou que vai assumir o comando de Revenge. Durante as duas primeiras temporadas Mike Kelly que dizia os rumos que a atração iria tomar. Mas ele se mostrou um pouco insatisfeito com o ritmo de trabalho e com a quantidade de episódios por temporada (ele queria temporadas mais curtas). Em seu lugar vai entrar Sunil Nayar, que tem no currículo CSI Miami, Oz e Three Rivers. Geralmente essas mudanças mexem muito com o rumo das séries, em nem sempre para um bom camminho, mas eu acho Revenge uma embromação então achei até bom.

E agora minha novidade favortia: Shirley MacLaine vai dar o ar da graça novamente em Downton Abbey. Ela fez uma super dobradinha com Maggie Smith no início da terceira temporada e deixou saudades. E além disso, teremos um novo personagem, um cantor de jazz interpretado por Gary Carr. Achei um negão de tirar o chapeu.
gary carr

Sangue Novo

E finalmente Sangue Bom estreou. E confesso que correspondeu as minhas expectativas. A novela tem um clima bem xovem e fresh, com muita gente bonita. Mas tem atores mais velhos que complementam o elenco e seguram bem a novela.

A novela lembra um pouco Tititi (que é da mesma autora), com linguagem rápida, sem muito lero lero, com personagens divertidos e bem humorados.

Destaque para Giulia Gam, que depois de Helouquisa em Mulheres Apaixonadas não teve nenhum super papel de destaque nas novelas, se encontrou com Bárbara Ellen. Malu Mader virou classe C, justiceira e vai voltar com Felipe Camargo. Daniel Dantas é um querido que sempre terá minha simpatia. Do elenco jovem Humberto Carrão foi o que mais chamou atenção, em um papel bem diferente do que ele está acostumado a fazer. Não sei se o público vai criar empatia com a Amora (sophia Charlotte), achei a Malu (Fernanda Vasconcellos) mais legal, no momento torço mais para o personagem dela.

Agora o que AMEI mesmo foi a trilha sonora. Começando pela abertura com um clássico de Lulu que eu adoro, interpretado pelo Sambô. Tinha uma implicância total com esse grupo, mas agora passou. Ainda tem Naldo, Nando Reis, Emicida, Agridoce, Emeli Sande, fun e Calvin Harris, é para todos os gostos e para ninguém colocar defeito.

O tema principal, a fama, não é novidade, e já foi tratado em novelas como Celebridade e e em Séries como Vida Alheia, mas acho que a novela tem personalidade suficiente para deixar a sua marca. E nós não sentiremos saudades nenhuma de Guerra dos Sexos.