Na minha TV

“Como perde tempo com essas besteiras?”
“Não suporto TV, não vejo nada”
“Por que você gosta dessa porcaria de televisão?”
Quem nunca escutou ou falou alguma dessas frases? Pois eu resolvi respondê-las.

Porque eu aprecio Maggie Smith atuando em Downton Abbey.
Porque eu me surpreendo com o roteiro de Homeland.
Porque eu gostaria de trabalhar na Sterling Cooper & Partners de Mad Men.
Porque eu adoro os figurinos das novelas de época, como Lado a Lado.
Porque eu realmente me emociono com os participantes do X Factor.
Porque eu queria morar em NY, como as meninas de Girls.
Porque eu rio com Friends (da mesma piada, um milhão de vezes).
Porque as histórias de Orange is The New Black são ótimas.
Porque eu adoro eu adoro o povo do interior de Stars Hollow, de Gilmore Girls.
Porque eu posso desopilar com as novelas das sete, como Sangue Bom.
Porque um bom gancho prende qualquer um, como em Avenida Brasil.
Porque famílias malucas estão em todo lugar, inclusive em Calabasas com as Kardashians.
Porque até o futebol americano pode render uma boa série, como Friday Night Lights.
Porque amo anti-heróis como Tony Soprano.
Porque aprendi todo o jargão médico (em inglês e português) vendo ER.
Porque entendo que Glee é mais do que uma série sobre adolescentes na high school.
Porque eu também julgo a roupa alheia como o pessoal do Fashion Police.
Porque sou super adepta de uma bagunça como a do Esquenta.
Porque não é todo dia que conseguimos ver Fernandona Montenegro atuando, como agora em Saramandaia.

Das seis

Joia Rara. Ainda não me decidi como eu me sinto em relação à nova novela da TV Globo. Buda? To fora. Boas histórias, grandes vilões e lindas locações? To dentro.

Não há dúvidas que Thlema Guedes e Duca Rachid são as queridinhas da vez. Suas novelas são sucessos de audiência e de crítica, “Cordel Encantando” tinha uma estética linda e uma história boa. O último capítulo de “O Profeta” arcou 40 pontos e o de “Cama de Gato” 33. Considerando que a média de Flor do Caribe foi 21 pontos é perfeitamente compreensível como a emissora quer resgatar a audiência perdida.

Novela das seis é um bicho complicado. Enquanto a das sete tem aquele tom de humor contemporâneo e a das nove se leva a sério. Já a das seis é aquela que tem que agradar dos jovens que estão chegando do colégio às donas de casa. Eram de época, foram para o campo, enfim ficam meio no limbo sem muita identidade.

Mas vamos voltar para Joia Rara? Amora Mautner é a diretora, isso sozinho já é um bom motivo para conferir. Ela dirigiu Avenida Brasil e foi a grande responsável pelas cenas incríveis da família Tufão.

A trama se passa nos anos 30/40, ou seja, esperem figurinos e cenários belíssimos e a produção gravou no Nepal, em uma produção muito caprichada. Bruno Gagliasso e Bianca Bin formam o casal do amor impossível Franz e Amélia, e juntos tem a Pérola (interpretada por Mel Maia, a Rita de Avenida Brasil). O que ninguém sabe é que Pérola é a reencarnação do líder budista Ananda (Nelson Xavier). Muita viagem? É pode ser. Mas com uma boa mão não duvido que vá ser um novelão daqueles para ninguém botar defeito.